Raul Brandão (1867-1930) | Destaque do mês PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

capa agenda3 P

Raul Brandão nasceu no Porto a 12 de março de 1867. Matriculou-se no Curso Superior de Letras, tendo criado, em 1889, com António Nobre e Justino de Montalvão, o grupo iconoclasta "Os insubmissos" que coordenou a publicação de uma revista com o mesmo título.
Nos finais do Século XIX dirigiu com Júlio Brandão e D. João de Castro a Revista de Hoje (1895) e colaborou no jornal Correio da manhã. Com 24 anos de idade, Raul Brandão decidiu deixar o curso de letras e mudar-se para a Escola do Exército. Após o Curso de Oficiais, tirado em Mafra, muda-se para Guimarães onde é colocado com alferes. Na cidade berço conhece Maria Angelina com quem veio a casar.
Mais tarde é transferido para Lisboa, cidade onde morre a 5 de dezembro de 1930, aos 63 anos, deixando uma extensa obra literária e jornalística.
Raul Brandão ficou conhecido por obras como Húmus, Os pobres, A farça, A morte do palhaço, O mistério da árvore e Os pescadores.
Em colaboração com a esposa escreveu ainda Portugal pequenino, uma narrativa para crianças.