PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Indíce do artigo
Eduardo Lourenço - A Obra (1)
Pág. 2
Todas as páginas

Fotografia de Eduardo Lourenço

Não é possível elaborar bibliografias de e sobre Eduardo Lourenço. Provam-no as muitas e variadíssimas que estão feitas e publicadas e que o leitor atento certamente conhece. Coisa bem diferente, e porventura inalcançável, será estabelecer a lista completa ou definitiva dos textos que Eduardo Lourenço escreveu ou mesmo publicou até hoje. Há sempre um artigo que falta ou uma outra entrevista que, entretanto, surge, vinda não se sabe muito bem de onde.

Quando comecei a preparar a minha dissertação de Doutoramento em Filosofia na Universidade de Évora sobre o pensamento de Eduardo Lourenço, propus-me, desde logo, encontrar, organizar e estudar todos os textos publicados pelo autor. Contudo, cedo me apercebi que se tratava de uma tarefa permanentemente inacabada. Por isso, quando entreguei na Universidade o texto dessa minha Dissertação, no Verão de 2002, tinha recenseado vinte e três livros, quarenta prefácios e 764 textos de autoria de Eduardo Lourenço, além de 49 entrevistas e 339 artigos ou estudos dedicados à figura ou obra de Eduardo Lourenço. Entretanto, tomei conhecimento que, na sequência das investigações desenvolvidas também com vista a uma Tese de Doutoramento que apresentou à Universidade de Aveiro, Maria Manuel Baptista elaborou e publicou as duas outras listas bibliográficas mais extensas que conheço de textos redigidos por Eduardo Lourenço. Essas duas listas (que são praticamente coincidentes, com alterações de mero pormenor e algumas actualizações) representam um invulgar trabalho de pesquisa académica e têm um valor e uma importância que nenhum investigador da obra de Eduardo Lourenço pode ignorar.

Desde então e até hoje (no sentido literal do termo), estes repertórios têm vindo a ficar cada vez mais, e de modo irremediável, desactualizados, o que, bem vistas as coisas, só pode constituir uma excelente notícia para os amigos do pensamento de Eduardo Lourenço, por dois motivos: por um lado, começam a aparecer cada vez mais estudos, textos, investigações sobre uma obra que, também assim, exibe a sua enorme vitalidade.

 


LIMA, Tiago Pedroso de - Uma biblioteca aberta para uma dívida infinita. in Bento, Virgílio coord. - Leituras de Eduardo Lourenço: Um labirinto de saudades, um legado com futuro. Guarda: Centro de Estudos Ibéricos, 2008. ISBN 978-972-99435-7-7



 

Sugestões do mês

A saca de orelhas

News image

tchekov anton rebocava o seupulmão pelos ares da crimeiamais ou menos quando a engomadeirade cesário passava os seus pulmõespelo carvão do ferro Ler mais...

Este chapéu não é meu

News image

  Quando um pequeno peixe rouba um chapéu a um peixe enorme, é possível que se esteja a meter num grande sarilho. No entanto, e contra todas as pro... Ler mais...