Gesta Nacional - 1974 - O 25 de Abril | BMEL - Biblioteca Eduardo Lourenço
Gesta Nacional - 1974 - O 25 de Abril PDF Versão para impressão

15818P

Como se concebeu, imaginou, julgou,
E assim se descreveu o histórico momento.

É já de luz, de luz mais clara o novo dia!...
Um novo sol raiou, nova alvorada
Após a noite longa, inconsolada e fria,
A triste e sem luar, insignificativa,
Noite intranquila, escura,
A de ontem... já passada!...

 

Que a esperança surja agora,
Ao despontar dum novo sol,
Ao festejar deste arrebol,
Ao renascer da Nova Aurora!...

Que a primavera brilhe, e cante o rouxinol,
Viceje a flor de Abril, e se ouça a voz de novo,
A clara voz dum povo,
Ao despertar da nova aurora
Ao renascer dum novo sol!...

Que a Paz se consolide em fraternal convívio,
Que a vida seja alívio e não constrangimento,
E se respire ar puro, ar livre, ar são,
Mãos dadas ao labor, em paz e amor,
Nesta bendita hora,
Ao despontar da nova aurora!...

Que seja positivo o dia que renasce,
E que o receio passe, e se respire ar puro,
Ar renovado, e não contaminado
De infectas e viciosas impurezas!...
Que as horas já não sejam de incertezas,
E o Lema seja amor, labor, fraternidade,
Em paz, sossego e ordeira Liberdade!...

Eis o pregão, programa ideal
Da Gesta Nacional!...
Caminho a desbravar, mais certo e mais seguro,
Dum novo Portugal para o Futuro!...

Quem dera que tal fosse!...

 

 


António Monteiro da Fonseca - Hino à paz / A. Monteiro da Fonseca. - Guarda : [s.n.], 1975.