Minha Terra Alta de Azul e Neve
Os últimos dias de Franciscanos e Clarissas na Guarda I PDF Versão para impressão

13459

Os Últimos Franciscanos

Como estava o Convento de S. Francisco da Cidade quando Joaquim António de Aguiar decretou a extinção das Ordens Religiosas e a nacionalização dos bens conventuais?
A seção do Arquivo Histórico do Finanças, (Inventário n.º 177, na Caixa n.º 2218) conservada no Arquivo Nacional da Torre do Tombo (Lisboa), dá-nos a imagem possível do estado conventual.

Continuar...
 
José Saramago | Brandas Beiras de Pedra, Paciência PDF Versão para impressão

18391

O homem que não esqueceu

O dia merece o título de glorioso. Não há uma só nuvem no céu, o Sol brilha, o frio é tonificante. Viu a noite um viajante infeliz, vê o dia um contente viajante. Dirão os cépticos que foi por ter dormido e comido, mas os cépticos só nasceram para estragar os simples prazeres da vida, como este de atravessar a praça, comprar o jornal do dia anterior e verificar que as raparigas da Guarda são bonitas, substanciais e olham de frente.

Continuar...
 
Jorge de Sena I PDF Versão para impressão

SENAjorge

(...) em 1978, cumprem-se trinta anos sobre a primeira vez que, em público, me ocupei de Camões, iniciando o que, sem vaidade me permito dizê-lo, tem sido uma contínua campanha para dar a Portugal um Camões autêntico e inteiramente diferente do que tinham feito dele: um Camões profundo, um Camões dramático e dividido, um Camões subversivo e revolucionário, em tudo um homem do nosso tempo, que poderia juntar-se ao espírito da revolução de Abril de 1974 (...)

Continuar...
 
Eduardo Lourenço | Extracto de Discurso PDF Versão para impressão

ART13169

Da verdadeira Guarda só me eram familiares o frio, a neve, o nevoeiro que hoje veio envolver-nos, o vento imemorial, o céu varrido, a aparência sideral que anos mais tarde Vergílio Ferreira evocará magistralmente em "Estrela Polar". Nesses oníricos anos da minha terceira classe, a Guarda, era só não ser São Pedro, a perda do ninho, o primeiro encontro com os outros.

Continuar...
 
Jorge De Sena / Eduardo Lourenço PDF Versão para impressão

13172

Lisboa, 15 de Maio de 1977

 

Meu caro Eduardo

 

(...) A 5 ou 6 de Junho, voarei para Lisboa, pois que deverei proferir o sermão do 50º aniversário da presença em Coimbra a 7 (...), e o sermão camoniano, na Guarda a 10, a convite das comemorações que são mais do «emigrante» a que se quer lamber o rabo e a bolsa do que do Camões, emigrante também (fala, em nome da região, e não sei que mais, antes de mim, o Vergílio Ferreira, e depois de mim, o Ramalho Eanes

Continuar...