PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

altNasceu no Sabugal. Poeta e autor de livros para a infância, é licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra. Entre 1971 e 2001 foi jornalista profissional no Jornal de Notícias (Porto), onde desempenhou igualmente funções de editor e chefe de redacção. Além do JN, tem ainda colaboração dispersa por outros órgãos de comunicação, entre imprensa escrita, (colabora na Revista Visão, entre outros) rádio e televisão. Foi também professor da Escola Superior de Jornalismo do Porto e membro do Conselho de Imprensa.
A obra de Manuel António Pina consegue uma forte coesão, mantendo em ambos os registos - o da poesia e o da chamada " Literatura para a Infância " - aquilo que já foi classificado como " um discurso de invulgar criatividade e de constante desafio à inteligência do leitor ", qualquer que seja a sua idade.
Como poeta, a sua obra revela um cariz simultaneamente sentido e reflexivo, de tom irónico e pendor filosofante, a que é apontada uma tendência nietzschiana para alcançar "uma segunda e mais perigosa inocência".
Como autor de literatura infantil, a sua obra tem um lugar à parte no panorama nacional, mercê de um "nonsense" de tradição anglo-saxónica, (onde poderemos detectar a herança de Lewis Carroll) que brinca, inteligente e seriamente, com as palavras e os conceitos, num jogo de imaginação sem tréguas.
Grande parte de sua obra para a infância está representada em manuais escolares e publicada em antologias em Portugal e Espanha.


Obra:

  • Literatura Infantil:
    • O País das Pessoas de Pernas para o Ar. Lisboa: A Regra do Jogo, 1973; 2ª ed. 1978.
    • Gigões & Anantes. Lisboa: A Regra do Jogo, 1974; 2ª ed. 1978.
    • O Têpluquê. Lisboa: A Regra do Jogo, 1976; 2ª ed. Porto:
    • Afrontamento, 1995.
    • O Pássaro da Cabeça. Lisboa: A Regra do Jogo, 1983.
    • Os Dois Ladrões. Porto: Afrontamento, 1983.
    • História com Reis, Rainhas, Bobos, Bombeiros e Galinhas. Porto: Pé de Vento, 1984.
    • "História com os Olhos Fechados", in De Que São Feitos os Sonhos. Porto: Areal, 1984.
    • A Guerra do Tabuleiro de Xadrez. Porto: Pé de Vento, 1985.
    • Os Piratas. Porto: Areal, 1986.
    • O Inventão. Porto: Afrontamento, 1987; 3ª ed. 1993.
    • O Tesouro. Porto: Ed. April e Associação 25 de Abril, 1993.
    • O Meu Rio é de Ouro / Mi río es de oro. (ed. bil. Trad. Marta Saracho). Porto: Ed. April, 1995.
    • Aquilo que os Olhos Vêem ou OAdamastor , 1998.
    • Histórias que me Contaste Tu, 1999; 2003.
    • A Noite, 2002.
    • Perguntem aos Vossos Gatos e aos Vossos Cães, 2002.
    • O Livro de Desmatemática. Porto: Civilização, 2001; 2003

 

  • Banda Desenhada:
    • Uma Viagem Fantástica. (com Rui Azul) Porto: Ed. Gec/Alsthom,1996.

 

  • Poesia:
    • Ainda Não é o Fim nem o Princípio do Mundo Calma é Apenas um Pouco Tarde. Lisboa: A Regra do Jogo, 1974; 2ª ed. Porto: A Erva Daninha, 1982.
    • Aquele que Quer Morrer. Lisboa: A Regra do Jogo, 1978.
    • A Lâmpada do Quarto? A Criança? Porto: Gota d`Água, 1981.
    • Nenhum Sítio. Porto: Gota d`Água, 1984.
    • O Caminho de Casa. Lisboa: Frenesi, 1988.
    • Um Sítio Onde Pousar a Cabeça. Porto: ed. do autor, 1991.
    • Algo Parecido com Isto da Mesma Substância ( Poesia Reunida, 1974 / 1992 ). Porto: Afrontamento, 1992.
    • Farewell Happy Fields. Porto: ed. Do autor, 1993.
    • Cuidados Intensivos. Porto: Afrontamento, 1994.
    • Nenhuma Palavra e Nenhuma Lembrança, 1999.
    • Poesia Reunida 1974-2001, 2001.
    • Atropelamento e Fuga, 2001.
    • Os Livros. Lisboa: Assirio & Alvim, 2003.

 

  • Crónica:
    • O Anacronista. Porto: Afrontamento, 1994.
    • Porto. Modo de Dizer, 2001; 2003.

 

  • Ensaio:
    • Aniki-Bobó. Londres: British Film Institute, BFI Film Classics, 1997.

 

  • Prémios:
    • Prémio Literário Casa da Imprensa (Aquele que Quer Morrer)
    • Prémio da Crítica "Música & Som", 1981 (O Inventão)
    • Menção "Weiss Rabe", Alemanha, 1983 (Os Dois Ladrões)
    • Prémio Gulbenkian de ilustração, 1983 (Os Dois Ladrões)
    • Prémio Gulbenkian: Melhor Livro Publicado em Portugal em 1986/1987 (O Inventão)
    • Prémio do Centro Português de Teatro para a Infância e Juventude, 1988 (pelo conjunto da obra)
    • Prémio Nacional de Crónica Press Club/Clube de Jornalistas, 1994 (O Anacronista)
    • Prémio Seiva, 1996 (pela contribuição para o prestígio das Artes e Letras da Cidade do Porto)
    • Menção Especial do Júri do Prémio Europeu Pier Paolo Vergerio da Universidade de Pádua, Itália, 1997 (O Inventão)
    • Prémio da Crítica do Centro Português da Associação Internacional de Críticos Literários, 2001 (Atropelamento e fuga)
    • Prémio Luís Miguel Nava, da Fundação Luís Miguel Nava, 2004 (Os Livros)
    • Grande Prémio de Poesia APE/CTT, 2005 (pela obra Os Livros)

 


Fonte:

  • ROMANA, José Manuel Trigo Mota da - Antologia de escritores da Guarda : século XII a XX. Guarda : Câmara Municipal da Guarda, 2003. 406 p ; 25 cm PT 201436/03 ISBN 972-8813-16-3