Alberto Diniz da Fonseca (1884-1962) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

AlbertoDF

Escritor natural da freguesia do Rochoso, concelho da Guarda, onde nasceu a 3 de setembro de 1884. Fez os estudos primários em Cerdeira do Coa, onde se criou desde pouco mais de um ano de idade; prestou provas do primeiro exame do ensino primário em Almeida e do segundo na Guarda.

Iniciou em 1 de outubro de 1895 os estudos secundários no Colégio de S. Fiel em Louriçal do Campo, matriculando-se posteriormente na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, onde viria a licenciar-se em 1905. Enquanto estudante em Coimbra, é um dos fundadores do Centro Académico de Democracia Cristã, tendo sido o seu primeiro secretário, colaborando desde o início na sua revista "Estudos Sociais". Enquanto estagiário de notariado na Figueira da Foz, escreveu para o jornal "Gazeta da Figueira". Colocado em Torres Novas como notário de 1909 a 1928, aí fundou os jornais "O Almonda" e o "Zêzere", tendo participado na criação do "Novidades". Publicou o primeiro exemplar do hoje órgão oficial do santuário de Fátima "A Voz de Fátima". Depois de uma passagem por Monforte do Alentejo, em 1928 veio para a Guarda onde viria a ser o organizador da Obra do Outeiro de São Miguel, fundando "O Amigo da Verdade", o "Almanaque de São Miguel" e "O Bicho". Contribuiu também para a fundação da "Veritas" e, logo de início, colaborou em "A Guarda" e noutros órgãos da imprensa católica e, nessa qualidade, terá participado no Congresso Internacional da Imprensa, em Bruxelas. Múltiplas foram as suas atividades, desde Presidente da SPES (Sociedade da Promoção e Educação Social) e do Instituto de S. Miguel até Diretor regional do Outeiro de S. Miguel, secretário do Centro de Assistência Social, além de exercer a sua profissão de notário.
Em 1947 foi nomeado Presidente da Câmara Municipal da Guarda, cargo que desempenhou até 1953. Anteriormente, tinha sido deputado na primeira república.
Em 1926 publicou O Sonho do Condestável, peça de teatro escrita com a finalidade de celebrar o Beato Nuno e que foi representada em Torres Novas. Com o pseudónimo de Alberto Miguel ou simplesmente Alberto escreveu alguns poemas dispersos por jornais e revistas que nunca reuniu em livro.
Faleceu na Guarda a 30 de Agosto de 1962.

 

 


Fonte:

  • ALMEIDA, António José Dias de (org.) – Guarda livros: textos e contextos. Guarda: Câmara Municipal, 2004.
  • CHORÃO, João Bigotte – Pelos frutos se conhece a árvore. In: Praça Velha. Ano 1, nº 3, 1ª Serie, 1998, pag.109-111.
  • GOMES, Pinharanda - Alberto Diniz da Fonseca: A Casa de Jesus. In: Revista Altitude. Ano 62, nº 8, 3ª Serie, 2003, pag.83-113.
  • GOMES, Pinharanda – O Dr. Alberto Dinis da Fonseca (1884-1962): Servidor da Pátria e da Guarda. In: Praça Velha. Ano 1, nº 2, 1ª Serie, 1997, pag.35-49.
  • GOMES, Pinharanda – A Guarda ilustrada: Breve panorama dos Escritores do Distrito da Guarda. Braga: Editora Pax, 1988.
  • GOMES, Pinharanda – Memórias da Guarda (escritos acerca da Cidade e da Região). Guarda: Câmara Municipal, 2001.
  • GOMES, Pinharanda – Revisitação ao Dr. Alberto. In: Praça Velha. Nº 12, edição especial, 2002, pag.87-94.
  • GOMES, Pinharanda – O Servo de Jesus: Alberto Diniz da Fonseca (1884-1962). Guarda: Liga dos Servos de Jesus, 1988.
  • SANTOS, José Martins dos – Biografias. [S.l. : s.n.], 1998-1999. - 4 vol.
  • SOUSA, José – O Senhor Dr. Alberto. In: Revista Altitude. Ano 3, nº 7-8, 2ª Serie, 1982, pag.17-24.
  • http://amigosdacerca.blogspot.pt/2015/07/irmaos-azevedo-mendes-com-alberto-dinis.html
    • Consultado em 21 de julho de 2016