Daniel Rocha (1982 – ) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

DanielRocha

 

Natural da Guarda, contactou com a escrita, desde cedo, nos versos da mãe sobre os santos populares e nas histórias do avô. É licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e tem o Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). É professor no Instituto de Gouveia – Escola Profissional, onde leciona a disciplina de Português.
Tem vindo a publicar livros com alguma regularidade mas também tem textos editados em várias publicações periódicas nacionais e internacionais: na Revista Praça Velha (Guarda), Revista Via Latina (Coimbra) e na Quinqué: Revista Independiente (Casa Xitla, México), onde também está traduzido para castelhano.
Para além da poesia, é autor de livros de teatro, dedicados ao Julgamento e Morte do Galo do Entrudo ou peças teatrais, como as representadas pelo Teatro do Imaginário – Grupo de Amigos do Manigoto, escritas para a Câmara Municipal da Guarda ou a propósito da celebração dos 245 anos da cidade de Pinhel. Para além do trabalho como dramaturgo, dedica-se à encenação e representação.
Dedica-se também ao texto narrativo, artigos, ensaios, recensões e crónicas em várias publicações, boletins e catálogos.
Em colaboração com Jos van den Hoogen, tem desenvolvido um trabalho de tradução da obra do poeta holandês Lucebert para a língua portuguesa.
Foi colaborador da Rádio Altitude (Guarda), no espaço de opinião "Crónica Diária". Mantém uma crónica no Portal Bombeiros.pt, no espaço "A visão do Bombeiro", e tem colaborado com alguma irregularidade com o jornal Notícias de Gouveia, com um espaço intitulado "Conto em 552 palavras" dedicado à microficção.

 

Obras:

  • Poesia, contos e meditações: quadros vivenciais In: Praça Velha nº 26
  • Poesia In: Praça Velha nº 23
  • Caleidoscópio vertiginoso In: Praça Velha nº 30
  • Refracções em três andamentos : (poesia)
  • O amanhã é um enigma In: Praça Velha nº 32
  • Julgamento e morte do galo do entrudo : 2012 : texto
  • Tenho uma pedra na cabeça : no lado esquerdo anterior frontal ou nada disto : poesia
  • Bloemlezing : 7 + 7 + 1 : antologia
  • Een andere afloop : (toneel)= um outo fim : (teatro)
  • Um outro fim : (teatro)
  • Julgamento e morte do galo do Entrudo: 2011 (coautoria com António Godinho)
  • O convento
  • A casa da memória
  • O juízo das casas
  • Visita encenada ao juízo
  • O Bem e o Mal
  • Julgamento e morte do galo do Entrudo: 2015: In taberna quando sumus
  • História breve de Pinhel em um acto

 


Fonte:

  • http://ardaguarda.blogs.sapo.pt/daniel-antonio-neto-rocha-1982-291815
    • Consultado em 29 de junho de 2016
  • http://www.ointerior.pt/noticia.asp?idedicao=743&idseccao=10192&id=42588&action=noticia
    • Consultado em 29 de junho de 2016